A reciclagem de plásticos já é uma realidade há muito tempo e todos sabem de sua importância, mas conhecer as informações técnicas sobre esta prática tão importante pode jogar nova luz sobre o valor de separar este material para destinar à coleta seletiva.

O material plástico vem das resinas derivadas do petróleo e pertence ao grupo dos polímeros (moléculas muito grandes, com características especiais e variadas). A palavra plástico tem origem grega e significa aquilo que pode ser moldado.

Eles são divididos em dois grupos de acordo com as suas características de fusão ou derretimento: termoplásticos e termorrígidos. Os termoplásticos são aqueles que amolecem ao serem aquecidos, podendo ser moldados, e quando resfriados ficam sólidos e tomam uma nova forma.

Esse processo pode ser repetido várias vezes. Correspondem a 80% dos plásticos consumidos e que vão para a cadeia de reciclagem. Ex: polipropileno (ver nas embalagens o símbolo PP nº 05); polietileno ( um deles, PET nº 01 ou PEAD nº 02).

Os termorrígidos ou termofixos são aqueles que não derretem quando aquecidos, o que dificulta sua reciclagem através dos processos convencionais. Ex: poliuretano rígido.

A reciclagem de plásticos em outros utilitários:

Depois de passarem por um sistema seletivo (coleta seletiva em ambientes domésticos, industriais ou comerciais), as embalagens Plásticas podem seguir para 2 formas de transformação: a reutilização artística, fazendo peças decorativas, lúdicas e outros OU seguem para uma triagem – dentro de cooperativas ou sucateiros – para separá-las por tipo (PET, PEAD, PP etc) e por cor e, como forma de viabilizar o transporte para as fábricas recicladoras (estas sim, através de maquinário, são transformadoras do material plásticos em novos objetos) fazem o enfardamento, utilizando prensas hidráulicas ou manuais.

 

O processo de reciclagem dos diferentes tipos de PLÁSTICOS se dá através de moagem e lavagem das embalagens, daí os polímeros são novamente transformados em grânulos, os chamados grãos ou pellets, que servirão como matéria-prima para indústrias de peças automotivas, peças de utilitários domésticos, brinquedos, mobiliário urbano (é o caso da madeira plástica), fio para vestuário (poliéster) etc.

 

Por exemplo: produtos da reciclagem do PET são muito variados. É possível fabricar desde fibra de poliéster para a confecção de roupas à produção de novas embalagens para a indústria alimentícia.

 

 

Imagino que você possa gostar de ler:

Pin It on Pinterest

Share This